ELEGÂNCIA NA MATEMATECA

Quando elogiam determinado trabalho na sua área, os matemáticos gostam de usar palavras como “belo” e “elegante”. O emprego desses adjetivos pode parecer deslocado para alguém fora desse mundo em que quase tudo é abstração. “Essa é uma ideia equivocada”, diz Eduardo Colli, professor do Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME-USP). “Nós imaginamos a matemática como algo colorido, bonito, plástico e não apenas como um emaranhado de números e contas.” A exposição interativa Matemateca espelha esse sentimento. Trata-se de uma mostra de peças que procura encontrar uma linguagem de objetos estéticos que represente uma outra linguagem – a matemática.[...]

Confira a matéria completa em: Elegância na Matemateca - Pesquisa FAPESP